Jornal Tribuna do Norte

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Papo Reto

O ‘Papo Reto’ da edição de hoje traz um bate papo com Dirceu Pastorelli Carlos Júnior, caminhoneiro e o atual presidente da Cooperapinda. Com 46 anos, Dirceu é nascido em Pindamonhangaba, casado com Ana Paula da Silva Nogueira e fez Administração na faccamp em Campo Limpo Paulista.

Divulgação. Equipe da Cooperapinda

TN – Quais são os principais desafios que a cooperativa enfrenta atualmente em Pindamonhangaba e como vocês estão lidando com eles?

A Cooperativa de Transporte de Carga de Pindamonhangaba – COOPERAPINDA, é um modelo de negócio que visa oferecer aos seus cooperados, melhores condições de trabalho, renda e qualidade de vida. No entanto, esse tipo de organização também enfrenta diversos desafios no cenário atual, como a concorrência acirrada, a alta carga tributária, a burocracia, a super lotação do mercado, falta de infraestrutura e a insegurança nas estradas.

Para superar essas dificuldades, os cooperados estão se unindo e buscam soluções coletivas, que beneficiam a todos, como a negociação de fretes, a compra conjunta de insumos, a capacitação profissional, a gestão eficiente e a participação nas decisões da cooperativa. Além disso, os cooperados se mantem atualizados sobre as tendências e oportunidades do mercado, bem como as normas e regulamentações do setor. Dessa forma, a cooperativa de transporte de carga COOPERAPINDA, pode se fortalecer e se diferenciar no mercado, garantindo a satisfação dos seus clientes e o bem-estar dos seus cooperados.

Divulgação. Junior durante uma apresentação

TN – Como a cooperativa está se adaptando às mudanças na legislação de transporte e logística?

A COOPERAPINDA, para se adaptar às mudanças na legislação de transporte e logística, para atingir este objetivo, cerca de outros profissionais especializados e qualificados no setor de transporte e cooperativismo, tanto na área legal e contábil, e está sempre atenta às normas e exigências que regulam a atividade, bem como às oportunidades e desafios que o mercado apresenta. E, algumas das principais mudanças na legislação de transporte e logística que afetam a cooperativa são:

– A Lei nº 13.103, de 2015, que estabelece a regulamentação da profissão de motorista, incluindo jornada de trabalho, tempo de direção, descanso, remuneração e direitos trabalhistas.

– A Lei nº 13.703, de 2018, que institui a Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas, definindo valores mínimos para o frete por quilômetro rodado, conforme o tipo de carga, o eixo e a distância percorrida.

– A Lei nº 14.157, de 2021, que altera a Lei nº 11.442, de 2007, que dispõe sobre o transporte rodoviário de cargas por conta de terceiros e mediante remuneração, estabelecendo novas regras para a contratação do serviço, a responsabilidade civil do transportador e do contratante, o seguro obrigatório e a fiscalização.

E, para se adaptar a essas mudanças, a

COOPERAPINDA se propõe a:

– Capacitar os seus cooperados para o cumprimento das normas legais e para a melhoria da qualidade e da segurança do serviço prestado.

– Negociar com os seus clientes e parceiros os valores e as condições do frete, buscando garantir a rentabilidade e a sustentabilidade da cooperativa.

– Investir em tecnologia e inovação para otimizar os processos de gestão, planejamento, controle e rastreamento das operações de transporte e logística.

– Participar dos fóruns e entidades representativas do setor, defendendo os interesses e as demandas da cooperativa e dos seus cooperados. Sabemos que a cooperativa, e em especial, de transporte de carga é uma forma de empreendedorismo coletivo que contribui para o desenvolvimento econômico e social do país.

E ao nos adaptarmos às mudanças na legislação de transporte e logística, a COOPERAPINDA, demonstra o seu compromisso com a legalidade, a ética e a qualidade do serviço que oferece aos seus clientes.

TN – Qual é a estratégia da cooperativa para a sustentabilidade, considerando o impacto ambiental dos caminhões?

A COOPERAPINDA, tem como um de seus objetivos promover a sustentabilidade em suas atividades, buscando reduzir o impacto ambiental dos caminhões que utilizam. Para isso, a cooperativa adota as seguintes estratégias:

– Investir em tecnologias de eficiência energética e redução de emissões, como motores mais modernos, filtros de partículas, sistemas de recuperação de calor e combustíveis alternativos.

– Realizar a manutenção preventiva e corretiva dos veículos, garantindo o bom funcionamento e a segurança dos mesmos, além de evitar desperdícios de combustível e poluição excessiva.

– Otimizar as rotas e os horários de entrega, evitando congestionamentos, desvios e paradas desnecessárias, que aumentam o consumo de combustível e as emissões de gases poluentes.

– Capacitar os motoristas para uma condução econômica e responsável, incentivando- os a respeitar os limites de velocidade, evitar frenagens e acelerações bruscas, manter uma distância segura dos demais veículos e desligar o motor quando possível.

– Participar de programas e iniciativas de responsabilidade socioambiental, e o Programa FROTA LIMPA, que oferece orientação e assistência técnica para a melhoria da gestão ambiental das empresas de transporte.

TN – Como a cooperativa está incorporando novas tecnologias, como automação ou telemetria, para melhorar a eficiência e segurança?

A COOPERAPINDA, busca oferecer soluções logísticas de qualidade para seus clientes e cooperados. Para isso ela está incorporando novas tecnologias, como automação ou telemetria, que permitem otimizar os processos e aumentar a eficiência e segurança das operações. Para esclarecer, a automação consiste no uso de sistemas inteligentes que podem controlar e monitorar as atividades de transporte, como o planejamento de rotas, a alocação de veículos, o rastreamento de cargas, a emissão de documentos fiscais, entre outros. Esses sistemas reduzem os custos operacionais, os erros humanos e o tempo de entrega, além de facilitar a comunicação entre os envolvidos na cadeia logística. Por outro lado, a telemetria é uma tecnologia que permite coletar e transmitir dados em tempo real sobre o desempenho dos veículos, como velocidade, consumo de combustível, quilometragem, temperatura, pressão dos pneus, etc. Esses dados são analisados por softwares especializados que podem gerar relatórios e alertas sobre as condições dos veículos e dos motoristas, como possíveis falhas mecânicas, desvios de rota, infrações de trânsito, fadiga, etc. Esses relatórios e alertas permitem a COOPERAPINDA, a tomar medidas preventivas ou corretivas para evitar acidentes, multas, avarias ou perdas de carga. Com essas tecnologias, a COOPERAPINDA consegue oferecer um serviço mais ágil, confiável e seguro para seus clientes e associados, além de contribuir para a sustentabilidade ambiental e social do setor.

TN – Como a cooperativa apoia o desenvolvimento profissional de seus motoristas e outros membros da equipe?

A COOPERAPINDA, é uma organização que visa promover o bem-estar e o crescimento de seus cooperados, que são os motoristas e os colaboradores. Para isso, a cooperativa oferece diversas oportunidades de desenvolvimento profissional, tais como:

– Capacitação técnica: a cooperativa realiza cursos, treinamentos e palestras sobre temas relacionados ao transporte de cargas, como legislação, segurança, logística, manutenção, entre outros. Essas atividades visam atualizar e aprimorar os conhecimentos e as habilidades dos cooperados, bem como prepará-los para os desafios do mercado.

– Educação cooperativista: a cooperativa também incentiva a participação dos cooperados em programas de educação cooperativista, que abordam os princípios, os valores e as práticas do cooperativismo. Esses programas buscam fortalecer a identidade, a cultura e o senso de pertencimento dos cooperados, além de estimular o espírito de cooperação, solidariedade e responsabilidade social.

– Gestão participativa: a cooperativa valoriza a opinião e a contribuição dos cooperados na gestão da organização, por meio de assembleias, conselhos e comissões. Esses espaços permitem que os cooperados expressem suas demandas, sugestões e críticas, bem como acompanhem e fiscalizem as decisões e as ações da diretoria. Além disso, os cooperados têm acesso aos resultados financeiros e operacionais da cooperativa, o que garante transparência e confiança.

– Benefícios sociais: a cooperativa também oferece benefícios sociais aos seus cooperados, como plano de saúde, seguro de vida, medicina e segurança no trabalho, auxílio funeral, fundo de assistência social, entre outros. Esses benefícios visam garantir a qualidade de vida e a segurança dos cooperados e de suas famílias. Dessa forma, a COOPERAPINDA, apoia o desenvolvimento profissional de seus motoristas e outros membros da equipe, proporcionando-lhes condições favoráveis para o exercício de suas atividades, bem como para o seu crescimento pessoal e coletivo.

TN – Quais são os planos futuros para a expansão ou desenvolvimento da cooperativa em Pindamonhangaba ou em outras regiões?

A COOPERAPINDA, tem investido em melhorias na infraestrutura, na capacitação dos motoristas, na renovação da frota e na ampliação da rede de parceiros. A cooperativa também tem buscado novas oportunidades de negócios em outras regiões, como o Vale do Paraíba, o Sul de Minas e o Litoral Norte. A COOPERAPINDA acredita que, com essas ações, poderá aumentar a sua competitividade, a sua rentabilidade e a sua sustentabilidade no mercado de transporte de cargas.

loader-image
Pindamonhangaba, BR
12:02, pm, junho 23, 2024
temperature icon 25°C
céu limpo
Humidity 47 %
Wind Gust: 0 Km/h

Notícias relacionadas

Tribuninha N° 50

Tribuninha N° 50

21 de junho de 2024
Edital 10102

Edital 10102

21 de junho de 2024
Edição 10102

Edição 10102

21 de junho de 2024

Categorias

Redes Sociais