Jornal Tribuna do Norte

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
>> Ir para site antigo

‘Mestres da Cultura Viva 2023’ recebem homenagem com objetivo de preservar e valorizar a cultura tradicional

Figuras representativas da cultura do município foram homenageadas no último domingo (27), no Museu Histórico e Pedagógico de Pindamonhangaba

No último domingo (27), ocorreu a entrega da quinta edição do ‘Prêmio Mestres da Cultura Viva 2023’. Este evento, promovido pela Prefeitura de Pindamonhangaba através da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, teve lugar no Museu Histórico e Pedagógico Dom Pedro e Dona Leopoldina. O prêmio tem como principal objetivo reconhecer e valorizar os conhecimentos e práticas culturais populares, bem como as formas de transmissão das tradições culturais.

Nessa edição de 2023, foram homenageados os seguintes artistas e mestres: Rute Eliana dos Santos, agraciada como Mestre em Dança Educação; Hildo Correa Leite, reconhecido como Artista Popular em Papel Machê, Carros Alegóricos e Fantasias; José Ouverney, premiado como Mestre de Trova Literária; José Benedito da Silveira, honrado por sua atuação como Cenografista e Decorador; e Wilson Maximiano, destacado como Professor de Teatro.

Os premiados receberam o certificado de Mestre Cultura Viva, juntamente com um prêmio em dinheiro. A entrega foi conduzida pelo secretário de Cultura e Turismo, Alcemir Palma, acompanhado pelo adjunto da pasta, Ricardo Flores, pelo adjunto de Governo, Alexandre Pió, pela diretora de Cultura, Rebeca Guaragna, e pela presidente do Conselho Municipal de Patrimônio Histórico, Ana Maria Guimarães.

Na edição deste ano, o prêmio recebeu inscrições de 14 artistas que foram selecionados seguindo um criterioso processo de avaliação. Os critérios de seleção envolveram a experiência e a trajetória de vida dedicada à cultura, o conhecimento e a maestria em saberes e práticas tradicionais, a habilidade em transmitir esses saberes para outras pessoas e o compromisso com a preservação e valorização da cultura.

O evento de premiação contou com a presença de familiares e amigos dos homenageados, criando um momento emocionante para o público presente. Através desse reconhecimento promovido pela Prefeitura, já foram homenageados 25 artistas desde a criação do prêmio em 2019.

Essa premiação faz parte das estratégias de ações estabelecidas no Plano Nacional de Cultura, na Lei Orgânica Municipal, no Sistema Municipal de Cultura e no Plano Municipal de Cultura. Essas iniciativas visam criar políticas para a transmissão dos saberes e práticas das culturas populares e tradicionais, por meio do reconhecimento formal dos mestres populares e da disseminação de seus conhecimentos e tradições.

Rute Eliana dos Santos, mestre em Dança/Educação

Rute Eliana dos Santos é uma Mestre em Dança que nasceu em 1954. Desde cedo, teve contato com a música por ser filha de um trompetista, o que lhe permitiu aprender as notas musicais e a colocação delas na pauta. Desde tenra idade, Rute já se expressava através de movimentos coreográficos diante do espelho do seu guarda-roupa.

Ela se graduou em Educação Física pela Universidade de Taubaté (UNITAU), uma formação que contribuiu significativamente para suas habilidades corporais. Rute também teve uma carreira como servidora pública na Rede Estadual de Ensino, de 1975 a 2010. Além disso, lecionou no curso de Artes Cênicas na Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Taubaté (FASC) de 1995 a 2002.

Rute sempre demonstrou paixão pela cultura regional e folclórica, participando em diversos festivais juninos e carnavalescos, nos quais recebeu diversos prêmios ao longo do tempo. Ela também foi reconhecida sete vezes como a professora do ano na Escola Estadual Ryoiti Yassuda. Atualmente, Rute está de volta aos palcos, dedicando-se a interpretar músicas que contam a história do povo e das festas locais através de suas melodias. Sua dedicação à cultura regional e seu talento como dançarina e professora a tornam merecedora do título de Mestre em Dança.

Hildo Correa Leite, mestre em arte popular

Hildo Correa Leite, nascido em 1938, tem uma trajetória artística marcante. Desde os seus 13 anos, ele começou a auxiliar seu pai, Sr. Alarico, na produção de carros alegóricos e adereços feitos com a técnica de argila e papel machê para o Carnaval de Pindamonhangaba. Essa experiência inicial o introduziu no mundo da arte e do artesanato.

Ao longo dos anos, Hildo Correa Leite se envolveu em diversos trabalhos significativos. Alguns exemplos incluem a criação de um carro alegórico para a Festa da Cerejeira em Campos do Jordão (1959), a confecção de uma pinha gigante para o programa “Cidade Contra Cidade” (1969), a modelagem de um novo Saci em argila para o Parque Reino das Águas Claras (1986) e a elaboração de um Pinguim a pedido da Empresa Antártica, que ainda pode ser visto em um bar na Avenida Albuquerque Lins.

Hildo também se destacou por suas decorações carnavalescas na Associação Atlética Ferroviária durante a década de 1980 e por esculpir uma tartaruga gigante em pedra sabão para o Reino das Águas Claras.

Atualmente, Hildo Correa Leite é residente do Lar Irmã Terezinha. No local, uma pequena mostra exibe algumas de suas peças feitas em cerâmica, permitindo que todos possam apreciar suas habilidades artísticas e o legado que ele construiu ao longo de décadas dedicadas à arte e ao artesanato.

José Ouverney, mestre de Trova Literária

José Ouverney, nascido em 1949, é uma figura notável no cenário cultural de Pindamonhangaba. Ele é membro titular da cadeira número 33 da Academia Pindamonhangabense de Letras, demonstrando seu comprometimento com a literatura e a poesia da região.

Embora sua jornada na trova literária tenha começado em 1967, foi a partir de 1996 que ele voltou a abraçar essa modalidade poética com dedicação. Além da Trova Literária, José Ouverney também se aventurou em outras formas de poesia, como o conto e a crônica. Sua participação em Concursos da União Brasileira de Trovadores contribuiu para a divulgação do nome de Pindamonhangaba em diversas cidades do Brasil.

Ao longo de sua carreira, José Ouverney publicou livros, sendo “Brincando de Poeta”, lançado em 1999, um exemplo de suas obras. Seu envolvimento cultural também se estende à organização de eventos, como o “I Ensaio de Trovas” e o “I Concurso Municipal de Trovas” realizados em 2019.

Uma contribuição notável de José Ouverney para a cena literária é a criação, em parceria com seu filho Junior, do site “falandodetrova.com.br” em 2005. O site é considerado um dos mais completos no gênero, contendo uma vasta coleção de mais de 100 mil trovas e biografias de mais de 100 autores, solidificando ainda mais sua influência na divulgação e promoção da poesia.

José Benedito da Silveira, mestre de cenografia e decoração

José Benedito da Silveira, nascido em 1953, é um profissional que deixou sua marca no segmento de decoração e cenografia na região de Pindamonhangaba. Conhecido carinhosamente como “Silveira”, ele tem uma trajetória artística que se estende por várias décadas.

Sua carreira começou na década de 1990, quando ele mergulhou no mundo da decoração e cenografia. Um de seus primeiros clientes importantes foi o Clube Literário e Recreativo, para o qual realizava decorações carnavalescas que encantavam os frequentadores. Além disso, seu talento também foi requisitado por locais como a Associação Atlética Ferroviária, o Paineiras Country Club e o Clube TCC Taubaté. Ele deixou sua marca em eventos como o Baile do Hawaii, onde suas criações cenográficas enriqueciam a experiência dos participantes.

A habilidade de Silveira também se estendeu ao mundo do teatro, onde trabalhou em cenários para diversas peças, incluindo o espetáculo “Barca do Inferno”. Sua vasta experiência de mais de trinta anos na área de cenografia e decoração é um testemunho de sua dedicação e paixão por seu ofício. Seu trabalho contribuiu para o embelezamento e enriquecimento visual de diversos eventos na região, deixando uma marca duradoura no cenário cultural local.

Wilson Maximiano, mestre em Artes Cênicas

Nascido em 1961, José Wilson Maximiano é um profissional que deixou uma marca significativa no mundo do teatro em Pindamonhangaba. Sua jornada teatral começou em 1975, quando realizou um teste para o Grupo de Teatro “São Francisco”, que foi o fundador do Festival de Teatro de Pindamonhangaba – FESTE. Desde então, ele construiu uma carreira rica e diversificada no campo das artes cênicas.

Um dos pontos altos de sua trajetória foi sua participação na peça “Barca do Inferno”, um espetáculo que conquistou 30 prêmios em diversos festivais de teatro pelo país. Além de ator, Wilson Maximiano também se envolveu como decorador de festas temáticas, contribuindo com sua habilidade na cenografia e no figurino teatral.

Ele é bacharel em Comunicação Social pela Universidade de Taubaté (Unitau) e seu portfólio profissional é recheado com várias certificações e reconhecimentos, incluindo o título de “Melhor Ator Coadjuvante” do “Mapa Cultural Paulista” em 2000. Wilson ministrou cursos de Iniciação Teatral em projetos promovidos pela Prefeitura de Pindamonhangaba e foi professor de “Técnica de Expressão Vocal” na FASC (Fundação Artística e Cultural de Pindamonhangaba).

Atualmente, ele compartilha sua paixão pelo teatro como professor no Lar de Idosos Irmã Terezinha e também na Associação Atlética Ferroviária. Sua dedicação ao teatro e sua contribuição para a cena cultural local o tornam uma figura inspiradora e importante na comunidade artística de Pindamonhangaba.

Pindamonhangaba, BR
04:25 am, dezembro 3, 2023
19°C
nublado

Notícias relacionadas

Categorias

Redes Sociais